domingo, 13 de novembro de 2011

Curiosidades em Israel









Fonte da foto com bandeira de Israel:  Jerusalemshots.com/


PS. Informo que as fotos acima foram extraídas de blog/sites

sábado, 12 de novembro de 2011

Protesto de palestinos


Essa foto está entre os destaques da revista Time (2010). Foi feita na Faixa de Gaza. No muro, um protesto de palestinos contra Israel. No entanto, observamos as sombras das crianças que brincam, parecendo protegidas pela luz da inocência em território onde prolifera o ódio contra Israel.


Fonte:  http://champanhecomtorresmo.blogspot.com/

Animais domésticos em Israel



A matéria no Haaretz me chamou atenção sobre esses bichinhos de estimação de quem vive em Israel, para os cães têm tigelas de plásticos, ossos de borrachas e até almofada de espuma para viajar de carro e pode apoiar a cabeça na janela para o cão apreciar a viagem!


Gatos em Jafa




Jafa pode se vê sinais da historia, ruelas charmosas e muitos, muitos gatos que foram levados pelos ingleses durante o Mandato Britânico da Palestina para resolver um problema de proliferação de ratos. Hoje, os gatos estão em toda parte.











Esse gato em frente ao Muro ocidental parece que pousou para a foto.











Em janeiro deste ano animais de todo o mundo participaram da Exposição de Gatos em Israel. Os bichanos de diferentes raças estiveram na feira anual de felinos na cidade de Holon, próxima a Tel Aviv. Até os da raça Sphynx disputaram este concurso de beleza.


A exposição reuniu mais de 120 animais israelenses e internacionais que participaram deste concurso de beleza felina com o objetivo de serem o ‘gato mais bonito’. E tinha animais para todos os tipos de apreciadores: de pêlo longo, curto ou até sem pêlo.

Pombos em Jerusalém

Os pombos já fazem parte da paisagem quando sobrevoam calmamente nos arredores do Muro Ocidental. Podem ser vistos através do webcam no meio dos turistas me plena explanada. Outro dia, uma criança brincava de espantar os pombos enquanto seus pais oravam junto ao muro.

Em dezembro de 2009 o prefeito de Jerusalém, Nir Barkat, se reuniu com crianças em frente aos muros da Cidade Antiga e soltou pombas brancas em uma manifestação a favor da libertação de Gilad Shalit.










 
Esse lagarto também achou uma pequena brecha entre as pedras para habitar próximo a explanada do Muro.








Lembro-me de um artigo da jornalista Josiane Rodrigues que informou que (embora não sejam animais de estimação) “Os corvos são aves fáceis de encontrar em Jerusalém. Eles gritam em vez de cantar e sobrevoam toda a cidade, em busca de comida...”.






Mas se você quer viajar para Israel com seu bichinho de estimação vai ter um pouco mais de trabalho, pois Israel possui uma quarentena de 8 dias para dois animais, ou quando eles viajam desacompanhados (como carga viva). Em caso de até dois animais, acompanhados pelo dono, não há quarentena.

Além disto, Israel exige implantação de microchip, vacinação em dia, teste titulação de anticorpos da raiva e um atestado de vacina emitido por um veterinário, o CZI (Certificado Zoo sanitário Internacional) emitido pelo Ministério da Agricultura e uma declaração de o proprietário está com ele a mais de 90 dias. Também exige que a última vacina anti-rábica tenha sido dada 30 dias antes da viagem. Portanto, precisa ter no mínimo 4 meses para poder viajar.

Um pacote Israel de viagens para animais inclui vários serviços, mas vai custar em torno de R$ 1.070,00 por pet, é só clicar no link http://doc-dog.com/procedimentos/israel/


 Fonte:


Israel in Photos end Depoiments




Netanya

“Israel é um milagre!”, exclamou o presidente francês, Nicholas Sarkozy, em Washington em 07 de novembro de 2007. “Sempre considerei Israel um milagre, um refúgio onde cada judeu no mundo poderia ir se acontecesse alguma coisa ele!”

“O que é Israel?  Um lugar, um modo de vida, fé, religião, herança, um sonho, esperança, de enfrentamento, cenário, pioneiros: homens, mulheres e crianças que cresceram com a função, um sonho de construir um país.




Lugar de história de guerras passadas e conflitos presentes. 













Mas também é um lugar onde se encontra a paz interior, e é por isso que milhares de pessoas se desprendem de seus países e chegam a Israel, para orar, para encontrar suas raízes, para encontrar a paz.



Israel é um lugar aonde a agricultura renasceu em lugares áridos, um verdadeiro milagre! Onde se encontra uma rica fauna e flora abundante. 



Ao contrário de certo depoimento que afirmou ser a convivência entre judeus e palestinos como “cães e gatos”, Israel é um lugar de uma experiência cuja coexistência frágil nos leva a reflexão.



Israel pode ser um país pequeno, mas ao visitá-lo se descobre lugares maravilhosos.




 Ashkelon








Israel está repleto de paisagens interessantes, raros sítios históricos, é um lugar de encontro com várias heranças. O espírito pioneiro que traz esperanças, sonhos e realizações.


Israel dispõe de paisagens diversificadas, da neve no Hermon com seus abundantes fontes de água, à paisagem árida e dura do deserto da Judeia e no Negev. 




Da beleza de seus vales às cidades repletas de arranhacéus. 


Vale do Armagedon


 




Beersheva

A terra está cheia de locais históricos, que estão sendo revelados até agora, e seus tesouros arqueológicos cada vez mais ricos.

 Cesareia


Regularmente recebemos informações  sobre novas revelações que lançam luz a história da humanidade surpreendentemente nesta parte do mundo”.  Hani Ziv 

Hani Ziv tem viajado pelos caminhos da Terra Santa por muitos anos, explorando sua beleza e sua íntima familiaridade com o território e seu povo, resultou na redação e edição de vários livros relacionados à História de Israel.







“A Terra de Israel é a Bíblia aberta, o testemunho por escrito, a identidade e o direito do povo judeu. Sob o seu céu, os profetas de Israel fizeram suas demandas por justiça social e proclamaram a sua visão de um mundo com um pacto entre as nações que não saberão mais o que é guerra ". Primeiro Ministro Ariel Sharon na Assembleia Geral da ONU em 15 setembro de 2005.

Mas existe um depoimento (opinião) muito interessante de Samuel Clemens - Mark Twain, autor de Tom Sawyer e Huckleberry Finn, que visitou a Terra de Israel em 1867. Nesse período, a impressão dele foi de que "Entre todas as terras feias do mundo, a Terra de Israel vem o primeiro lugar...


...Suas montanhas expostas, montes carecas, vales estéreis e vegetação escassa. É uma maldita terra, devastada. Jericho continua a ser um monte de destruição assim como Josué a deixou. Nazareth está desolada. Jerusalém é lamentável e triste, cheia de leprosos, aleijados e amantes da gratificação eterna...

 Monte Scorpus 1894



...Seus moradores estão vestidas em trapos mal-cheiroso, com as moscas e pulgas que pulam em torno deles e expressão em seus rostos em branco”. 


                                                               Muro Oicental em 1925












No entanto, a concepção hoje da Terra de Israel para muitos judeus (se não todos) é, e, "como um conceito judaico histórico-cultural, a autenticidade é a justificação profunda para a nossa presença aqui, como judeus. Sem ela, nossa demanda nacional não tem nenhum significado para nós ou qualquer outra pessoa.

                                                                           Eilat (2010)

The Land of Israel é um símbolo judaico e nossa ligação com ela define nossa identidade. Renunciar seria comparável a um suicídio nacional. Por outro lado, "o Estado de Israel" é uma ferramenta moderna de organização criado pelo sionismo, a fim de incorporar dentro do antigo símbolo da "Terra de Israel" valores vitais, tais como a independência nacional, a obrigação mútua, a soberania e a dignidade nacional, social e humana; responsabilidade nacional, a reunião dos exilados, a unidade nacional, democracia e uma infinidade de culturas”.


"A Terra de Israel não é um objeto externo, a posse de superfície para a nação ... A Terra de Israel é uma unidade poderosa que é fundido para a nação com o vínculo da vida". Palavras do líder espiritual, o rabino Avraham Yitzchak Kook Hacohen (1865-1935) no início de seu livro Luz perspicaz.

 
 “Israel é o lar nacional, a morada espiritual, e as bases para a liberdade do povo judeu”  
 Site  www.gavison-medan.org.il/

 









 "Eretz Israel é uma terra de sinais: ele mostra sinais de petróleo, de gás, sinais de cobre e muitos outros sinais (de progresso) encorajadores."  Levi Eshkol

“O IDF (Forças Armadas de Israel) pode conquistar todo o território entre o rio Jordão e o mar. Mas que país seria esse? ... nossa política... Toda a terra de Israel ou um Estado judeu, optamos por um Estado judeu!”. David Ben Gurion em 04 abril de 1949

 Declaração de Independència de Israel em 1948

De tudo o que foi exposto fica difícil definir a minha própria opinião a respeito de Israel sem copiar parte do que já foi mencionado:

“Israel é um milagre, lugar de refúgio espiritual, lugar aonde encontramos a paz, lugar de diversidade e unidade, lugar de identidade e de direito ortogado por D-us para o povo judeu. Lugar de sonhos e realizações. Israel é o lugar que eu escolheria para viver o resto da minha vida!”  Marion Vaz

Visite o link abaixo e confira as imagens - Lindíssimas!





quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Quarteto Fantástico



O Quarteto de Mediadores de paz no Oriente Médio se reunirá separadamente com autoridades israelenses e palestinas em 14 de novembro, em Jerusalém, num último esforço de ativar o processo de paz estagnado.  O Quarteto é formado por Estados Unidos, Rússia, União Europeia e as Nações Unidas.


 

O anúncio vem semanas depois de os palestinos concordaram em retomar as negociações com Israel sob a condição de que Israel congele todas as atividades de assentamento. "Estes não são favores que Israel está fazendo por nós. Estas são as suas obrigações em conformidade com o direito internacional", disse o negociador palestino Saeb Erekat.

Em outras palavras: O acordo de paz só terá êxito se Israel abrir mão de sua soberania sobre os territórios reconquistados (?). Isso inclui Jerusalém (?). Difícil! Acredito que o "quarteto fantástico" precisará de muita força de vontade e poder de persuasão para ter algum tipo de resposta que agrade os dois lados. Mas, tenho certeza que Israel não vai, e não pode abrir mão de Jerusalém, ou parte dela, em função de uma suposta proposta de paz, uma vez que os palestinos não estão propensos nem a aceitar Israel como nação, quanto mais honrar qualquer tipo de acordo de paz.


A preocupação maior agora é com o Irã e o parecer de sua ogiva nuclear - pelo que se veem nos jornais está em fase experimental. 


Os detalhes de uma série de testes, aquisição de materiais e tecnologia sugere o Irã tem trabalhado continuamente para produzir uma arma nuclear desde 2003.


Israel não se apressou para responder ao relatório da AIEA. O Gabinete do Primeiro Ministro disse em um comunicado nesta terça-feira, que Israel está estudando o relatório e emitirá uma resposta mais tarde. No entanto, já no início do mês Israel se colocou em alerta, tanto no sentido de preparar a população para um iminente ataque quanto para defesa própria.


O Conselho de Segurança quer pressionar por sanções contra o Irã depois de receber  um relatório da Agência Internacional de Energia Atômica informando que o Irã havia trabalhado para desenvolver um projeto de bomba atômica. Alguns países fizeram restrições como no caso da China que defende o uso de meios pacíficos para resolver a questão nuclear iraniana.


Enquanto isso, Mahmoud ahmadinejad afirmou em discurso realizado na cidade de Shahrekord e transmitido ao vivo pela televisão: "Vocês deveriam saber que esta nação não irá recuar nem uma agulha do caminho que está seguindo", A influência do presidente do Irã sobre seus aliados é grande e ele afirmou que não precisa de armas atômicas para manter os Estados Unidos longe das riquezas do país e que continuará com o programa atômico que ele chama de "pacífico",


Marion Vaz



sábado, 5 de novembro de 2011

Eco Experiência no Jerusalém Bird Observatory




A Jerusalém Bird Observatory – JBO - abriga o Centro Nacional de Israel Pássaro que serve como uma ferramenta ideal para estudos de conservação e pesquisa para monitorar as aves. 




Os padrões de migração de aves em Israel são estudados ao longo das diferentes estações e os dados coletados e analisados ​​em um banco de dados abrangente.














 
A JBO está localizado no centro de Jerusalém, perto do Knesset. Os visitantes podem parar para uma eco-experiência com bservação de aves e apresentação sobre a migração das aves em Israel disponíveis para os turistas que visitam em grupo ou indivídualmente.



A JBO fornece aos alunos israelenses, particularmente as crianças que vivem em Jerusalém e outras áreas urbanas, uma oportunidade única para experimentar o ambiente em primeira-mão.















Atividades dos alunos incluem "encontros imediatos" com aves anilhadas,  passeios de observação de aves, um clube de birdwatching, palestras sobre a vida das aves, a conservação da natureza, e apresentações de pesquisas atuais que estão sendo realizados ali.










E conferir as fotos da JBO e outras reservas em


Jerusalém Post Cartoons










Fonte: http://www.jpost.com/LandedPages/IGallery.aspx?GalleryID=343&Index=0

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Jerusalém, Terra de Ninguém (?)



                                            Yuval Yairi - Emil Salman - Foto de Emil Salman

Em 1980, a Knesset (Parlamento israelense) proclamou a lei em que afirma que Jerusalém, completa e unida, é a capital de Israel. A comunidade internacional, no entanto, não reconhece a cidade como tal, e a maioria das embaixadas fica na região de Tel Aviv.

Em 2007 por ocasião do 40º aniversário da cidade o então prefeito Lupoliansky não evitou falar das polêmicas conseqüências da Guerra dos Seis Dias, e lembrou a história da cidade desde sua fundação, há 3.000, pelo rei Davi, pai de Salomão, que construiu o primeiro Templo judaico no Monte Moriá (Monte do Templo ou Esplanada das Mesquitas). O discurso reivindicava o caráter judaico de Jerusalém.

Mas Yuval Yairi  e  Guy Briller que configuram o projeto "Visite Nomansland"  dizem que todo mundo sabe que a linha desenhada a lápis verde por Moshe Dayan e Tal Abdullah em 1948, dividiram Jerusalém em duas - a parte ocidental de Israel  e na parte oriental árabe. Agora estamos sendo lembrados de que a linha dividiu a cidade em três: israelenses, árabes e terra de ninguém. 

Um grupo de artistas, a maioria deles moradores de Jerusalém, estão planejando reviver terra de ninguém de Jerusalém esta semana com uma série de obras e instalações, a maioria delas temporários, sob o título "Visita Nomansland". Moradores árabes revoltados com o slogan gritaram não existe terra de ninguém e que o local pertece a eles e que os judeus não tem direitos.

Mas “Jerusalém Terra de Ninguém”  era mais conhecido entre as guerras, desde 1949 até 1967. Entre as linhas e queimadas com minas terrestres e tiros de franco-atiradores do Jordaniano Legion, ou seja,  uma verdadeira terra de ninguém onde as pessoas tinham medo de ir. Este período também deu origem a uma série de lendas.

Yuval Yairi (esquerda na foto acima) e Guy Briller configuram o projeto "Visite Nomansland"  próximo a Porta de Damasco em Jerusalém. "Há uma pequena mina de ouro aqui", diz Briller. Ao pé da Notre Dame, na área entre o Portão de Damasco e do bairro Musrara, era o maior trecho de terra de ninguém no coração de Jerusalém. Este é o lugar onde a maioria dos trabalhos e exposições serão exibidas nesta semana.

Antigos moradores do bairro lembraram que até 1967, esta área era um grande pântano de água de esgoto, onde vagavam os chacais. Após a Guerra dos Seis Dias, Israel  fez um grande esforço para limpar o local. O pântano foi drenado e substituído por um sistema de estradas que atravessam a cidade de sul a norte. O metrô ligeiro foi adicionado, bem como um novo  terminal de ônibus em Jerusalém (Oriental), além de praças e palmeiras, unificando essas duas principais partes da cidade no cruzamento de comércio e transporte de Jerusalém. É a principal rota dos bairros ultra-ortodoxos ao Muro das Lamentações, e para os turistas é a entrada principal da Cidade Velha.

No entanto, o esforço para apagar a fronteira falhou em pelo menos um lugar significativo: Terra de Ninguém permanece no Google Maps, e foi aí que eles notaram isso cerca de um ano atrás. "De repente, ele saltou para mim há uma pequena mina de ouro aqui", lembra. Um total de 32 artistas vão participar do projeto que está sendo produzido como parte do Manofim (alavancas), uma série de eventos para expor arte em Jerusalém para o público em geral. 

Manofim foi fundada há quatro anos por jovens artistas de Jerusalém e rapidamente se tornou uma das iniciativas mais interessantes artística na cidade.

Durante a próxima semana, haverá 25 exposições na série Manofim, alguns deles em espaços surpreendentes como uma loja de reparação de automóveis na zona industrial de Talpiot. O projeto é apoiado pela Fundação Jerusalém. 

Na próxima fase, em fevereiro de 2012, os artistas estão planejando estabelecer um "conselho de terra  de ninguém", que vai realizar discussões sobre o significado do lugar  tanto em Jerusalém e como metáfora.

Na minha opinião essa história de que Jerusalém deve ser propriedade de todos ou terra de ninguém tem seus contra. Agora  a Americans for Peace Now, o sócio da Paz dos EUA de esquerda de Israel  entrou com um pedido ao Tribunal Supremo dos Estados Unidos opondo-se  a listagem de "Israel" como país de origem nos passaportes dos nascidos em Jerusalém. Vão deixar em branco? Alguém pode nascer numa cidade que não fica em país nenhum? Eu acho que é uma forma de negar que Jerusalém pertença a Israel.
 
Desde a fundação de Israel, o governo americano não reconheceu qualquer soberania sobre Jerusalém, seja de Israel, palestinos ou jordanianos. O que eu acho um erro! Como parte desta política, a embaixada dos EUA  foi estabelecida em Tel Aviv, apesar de uma lei aprovada no Congresso, pedindo a embaixada para ser transferida para Jerusalém. Esse tipo de intervenção externa só vem a prejudicar o status de Jerusalém como a cidade indivisível e eterna do povo judeu.
 
Em 2002, o Congresso aprovou uma lei que estabelece que qualquer cidadão norte-americano nascido em Jerusalém, que faz um pedido especial é capaz de pedir que "Israel" ser escrito como seu país de nascimento.

Em seu artigo Identificando o território Palestina, Judah ou Israel, Oséias de Lima propõe uma vasta análise dos termos ultizados em diferentes épocas e conclui que “Israel trata-se de uma denominação própria dos judeus e designa a terra onde o povo mantém relações privilegiadas com seu Deus.”

Particularmente, eu considero Jerusalém como Capital de Israel, e que deveríamos parar de rotular "oriental e ocidental".