domingo, 22 de março de 2015

Israel e Inovações neste Dia Mundial da Água





Dripping With Innovation


"Um país cujo território parcialmente desértico, com uma absoluta falta de recursos naturais de água, no entanto, Israel tem literalmente feito florescer o deserto.


A irrigação por gotejamento tornou o país num líder mundial em transformar a escassez de água em abundância de água. O pequeno país tem vindo a fazer ondas em tecnologia da água desde a sua criação, e as suas inovações de irrigação por gotejamento, a dessalinização, tratamento de águas residuais e reutilização de água, entre outros, têm sido globalmente reconhecida e premiada.

Diante do aquecimento global e diminuição continuada dos recursos hídricos, agora mais do que nunca os países, tanto no mundo desenvolvido e em desenvolvimento estão buscando a ajuda de empresas israelenses tecnologia água para resolver estas questões grandes de água."


Leia texto completo em http: //blog.ourcrowd.com/index.php/2014/11/19/dripping-with-innovation-5-israeli-water-tech-companies-changing-the-world/

sábado, 21 de março de 2015

Netanyahu - Uma Figura Política de Israel com ideais


O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu cumprimenta aliados na sede eleitoral do partido em Tel Aviv.  (Foto: Dan Balilty / AP Photo)




O partido nacionalista Likud, liderado pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, ganhou as eleições parlamentares realizadas nesta terça-feira (17) em Israel. A vitória foi por uma boa margem de diferença sobre a coalizão de centro-esquerda União Sionista, cujo cabeça de chapa é o trabalhista Isaac Herzog.

A figura de Benjamin Netanyahu dá uma certa segurança. Além de ser um político carismático, em minha opinião, nestes anos como Primeiro Ministro de Israel, governou o país visando o bem estar de toda a nação.

Segundo o articulista  João K. Miragaya   da Conexão Israel, depois de extensas explicações e gráficos sobre a Política Israelense, explica que três fatores foram fundamentais para a vitória do partido do Likud:

"O primeiro é a propaganda. Netanyahu acertou em cheio, não só nos últimos dois meses. Ao ser indagado sobre o porquê da população de sua cidade não votar nos trabalhistas, o prefeito de Sderot afimou: “Os políticos da esquerda só vêm a Sderot em época de eleições. Os parlamentares do Likud estão aqui todas as semanas, conversam com os habitantes, escutam suas preocupações… como os moradores daqui acreditarão nas boas intenções de quem só aparece para ganhar votos?”. O público não vota no Likud só porque é conservador. Vota no Likud porque sente que os políticos de esquerda são ashkenazitas bem de vida, que vivem outra realidade em Tel-Aviv, e sequer estão dispostos a conhecer o seu difícil dia-a-dia na periferia. O discurso não cola, soa artificial e oportunista.
A segunda razão é o conflito: enquanto a esquerda não assumir uma postura, vai sempre parecer estar fugindo do tema. Eu não acredito que a maioria da população hoje em dia acredite que estejamos próximos da paz, muito menos que ela dependa somente de nós. Mas acho que esta população percebe quando um lado se esconde atrás de outros temas, e ignora o que sempre foi a pauta mais significativa de todos os gabinetes na história deste país. O conflito ainda é a principal preocupação de boa parte dos israelenses quando votam.
A última razão se explica através da figura de Netanyahu. Não há em nenhum outro partido um líder com seu carisma, sua experiência, seu tato e sua imagem. Enquanto os trabalhistas continuarem trocando seu candidato, Netanyahu seguirá único, inquestionável e imponente no poder. Lideranças não se criam do dia para a noite, se formam com o tempo, adquirem confiança com seus feitos. Benjamin Netanyahu é o único que transmite confiança à maioria da população. Enquanto não houver outro, ele reinará sozinho."
Assim, esperamos que, embora as diferentes realidades de cada cidade ou região de Israel sejam nítidas, haja por parte do governo uma consciência dos problemas que a população enfrenta no seu dia a dia. E que Israel continue a crescer em todas as áreas. 
Shalom.

terça-feira, 17 de março de 2015

Eleições em Israel










Urnas móveis, a fim de permitir que cada homem possa exercer o seu direito de voto.



Pela primeira vez a Google faz um logo para comemorar um evento em Israel.



Israeli Arab voters going to the Mendez Street polling station in Jaffa, March 17, 2015.


Eleitores árabes-israelenses vão as urnas


O país está a um passo de decidir seu destino! 

Cerca de 5,88 milhões de eleitores devem escolher 120 deputados em mais de 10 mil centros de votação espalhados por escolas, hospitais e outros pontos em todo o país. Entre sorrisos e rostos que demonstram preocupação, os eleitores tem esta responsabilidade de votar na esperança de obter melhorias em diversas áreas. O atual Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, convoca o povo a ir as urnas.



domingo, 15 de março de 2015

Maratona Anual em Jerusalém


















Prefeito Nir Barkat e comitiva participando do evento

A Maratona de Jerusalém é um evento anual que reúne participantes da cidade e todo país, além de muitos estrangeiros a exemplo de corredores brasileiros. A Maratona pelas ruas de Jerusalém é algo encantador, além dos participantes, podemos ver várias atividades diferentes ao longo do trajeto. No Gan Haatzmaut a prefeitura disponibiliza outros eventos para a população. 

Consulte os link abaixo para ver imagens lindas do evento:

https://www.facebook.com/nir.barkat?fref=ts
https://www.facebook.com/pages/Jerusalem-Marathon/554733514555751








sábado, 7 de março de 2015

Israel vai Existir





















Meus amigos, impor-se ao Irã não é fácil. Impor-se a regimes escuros e assassinos nunca é. Como disse o sobrevivente do Holocausto e ganhador do Prêmio Nobel Elie Wiesel, que procurou durante toda a sua vida e obra inspirar e dar significado às palavras, “Never Again”. E eu desejo que possa te prometer, Elie, que as lições da história foram aprendidas. 

Eu só posso insistir aos líderes do mundo a não repetir os erros do passado. Para não sacrificar o futuro, não ignorar a agressão, na esperança de ganhar uma paz ilusória.

Mas posso garantir isso, que os dias em que o povo judeu permaneceu passivo diante de inimigos genocidas, que esses dias acabaram. Nós não estamos mais espalhados entre as nações, não estamos mais impotentes para nos defendermos. Nós restauramos nossa soberania em nossa antiga casa. E os soldados que defendem a nossa casa tem coragem ilimitada. Pela primeira vez em 100 gerações, nós, o povo judeu, podemos nos defender. 

Em discurso no Congresso dos EUA, o Primeiro Ministro de Israel traz a memória a festividade de Purim que se originou devido as artimanhas de Hamã na Pérsia, quando intentou a destruição do povo judaico. 

Benjamim Netanyahu denuncia as intenções do Irã em relação a Israel nos mesmos moldes da Pérsia antiga. Afirma que a busca do Irã por armas nucleares pode ameaçar a sobrevivência de Israel. “O mundo deve exigir que o Irã pare de apoiar o terrorismo no mundo e pare de ameaçar aniquilar Israel”... 

É por isso que, como primeiro-ministro de Israel, posso prometer-lhe mais uma coisa: Mesmo que Israel tenha que ficar sozinho, Israel vai existir. Mas eu sei que Israel não está sozinho. Eu sei que a América está com Israel. Eu sei que você está com Israel. Você está com Israel porque você sabe que a história de Israel não é apenas a história do povo judeu, mas do espírito humano que se recusa novamente a sucumbir à horrores da história...

Leia o discurso no link
"O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta terça-feira (3) em discurso no Congresso dos EUA que a busca do Irã por armas nucleares pode ameaçar a sobrevivência de Israel. “O mundo deve exigir que o Irã pare de apoiar o terrorismo no mundo e pare de ameaçar aniquilar Israel”, afirmou.

Clique no link e leia a transcrição do discurso: http://www.fisesp.org.br/web/premie-de-israel-discursou-no-congresso-dos-usa/"

Purim 2015







Comemorações em Jerusalém

Imagens da https://www.facebook.com/Jerusalem

"Purim é um dos mais alegres e festivos feriados na tradição Judaica, um feriado cujos preceitos religiosos incluem ficar alegre. Essa é uma festividade que permite até mesmo aos mais sérios estudiosos da Torá se deixarem levar pelo espírito de diversão e aproveitar a atmosfera festiva."



Comemorações em Tel Aviv